Anúncios
Início Dicas Cuidados com a central multimídia quando acaba a bateria

Cuidados com a central multimídia quando acaba a bateria

Dicas de como aumentar a vida útil da central multimídia evitando que baterias descarregadas danifiquem acessórios do veículo

curto circuito central multimidia

Alguns anos atrás eu escrevi um post informando os usuários dos perigos das baterias descarregadas, mas acredito que com o passar do tempo alguns assuntos caem no esquecimento. Desta forma vou colocar aqui os cuidados com a central multimídia quando acaba a bateria do carro.

A grande maioria das pessoas já passaram pelo problema de uma bateria defeituosa. Seja ela devido a uma falha no carro ou até mesmo prazo de validade.

A bateria do carro tem o ciclo de carga e descarga limitados, considerando o uso diário a vida útil dela é de aproximadamente 3 anos.

A vida útil da bateria pode diminuir se o carro possuir muitos acessórios instalados que consomem alguma energia em “repouso”. alarmes, Centrais Multimídia e rastreadores são exemplos destes acessórios.

Quando a bateria chega perto do seu fim ou algum acessório consome energia mais do que previsto os problemas começam. O primeiro sinal é a partida, ao entrar no carro tentamos liga-lo e nada ocorre, mas o que fazer?

Primeira dica para preservar a Central Multimídia

A primeira dica é, remova o fusível responsável pela alimentação da central multimídia, antes mesmo de insistir em uma segunda partida.

Como já explicado, a central multimídia não possui nenhum tipo de proteção eficiente contra variações de tensão ou até mesmo inversão. Adicionar tal proteção significa custo e muitos fabricantes estão dispostos a remove-los.

Com o fusível removido, podemos prosseguir com a partida, chupeta (transferência de energia) ou até mesmo o famoso “tranco” sem que haja nenhum problema com a central multimídia.

Terei que desmontar o painel para localizar o fusivel?

Claro que não, todo veículo moderno tem um circuito especifico para a central multimídia, normalmente esta descrito no manual como “áudio”, “rádio” ou “infotainment”. O ideal é ter em mãos o manual e deixar esse fusível marcado. Utilize uma tinta de unha ou até mesmo um “marca texto”.

Eu uso uma fita “crepe”.

Segunda dica

Antes de qualquer problema acontecer já faça isso, reserve um tempo para localizar o fusível e deixa-lo marcado. Não tem o manual do carro ou tem dificuldades em interpretar, leve a um auto elétrico e peça isso, dificilmente cobrarão por esse serviço.

Só fiquem atentos, em alguns carros há mais de um fusível para o sistema de áudio, tenha certeza que aquele escolhido, quando removido, desligue a central.

Terceira dica, e considero a mais importante.

Nunca deixe a bateria “zerar” completamente.

A bateria sempre apresenta pequenos avisos quando esta próximo do fim da sua vida útil ou apresenta algum problema. Dependendo do veículo são sutis. Exemplo, a partida pela manhã é lenta, o motor “gira” devagar.

Um outro problema bem visível, com o farol ligado, ao pressionar o freio percebemos uma pequena variação na luminosidade.

Antes que aconteça problemas, leve seu veiculo a um auto elétrico ou casas especializadas em bateria e verifiquem. Se ela possuir 3 anos ou mais considerem troca-la imediatamente.

Uma dica para os profissionais que comercializam carros, lojas de automóveis e concessionárias. Façam isso sempre, o exemplo acima ocorreu em uma concessionária, o defeito só era perceptível depois de um certo tempo e ao desmontar tivemos que condenar o equipamento.

E antes de qualquer transferência de energia (A famosa “chupeta”) removam o fusível, sempre!

Um último ponto, nesse caso, se não houvesse um “microfuse” de proteção próximo ao ponto de curto circuito, poderia haver um incêndio.

SEM COMENTÁRIOS