fim da radio am

Quem costuma ouvir rádios AM nos carros já se acostumou com as interferências eletromagnéticas ao passar sob fios de alta tensão ou até mesmo ao lado daqueles carros mais antigos onde os cabos de vela estão desgastados.

Muita gente pode pensar que o fim das rádios AM foram causados pelo decreto Nº 8.139, mas não.

Com a eletrificação dos veículos um problema apareceu, os motores dos veículos elétricos geram frequências eletromagnéticas no mesmo comprimento de onda dos sinais de rádio AM. 

De forma clara, essa interferência cria um zumbido constante que impede que as atuais tecnologias entreguem uma boa qualidade na reprodução da rádio. Mesmo se você estiver com um carro NÃO elétrico seu rádio poderia sofrer com a interferência.

À medida que os motores elétricos ficam mais potentes a estática que causa a interferência aumenta.

Algumas montadoras, incluindo a BMW e a Honda retiraram os rádios AM de seus veículos elétricos. 

A Tesla desativou o rádio AM de todos os modelos, incluindo o Model S, que costumava oferecê-lo. 

Não existe uma solução fácil para resolver a interferência nas rádios AM, blindar cabos e adicionar componentes aumentariam o peso dos veículos sem dizer que o custo inviabilizaria tudo.

No Brasil as rádios AM deveriam ser migradas até abril deste ano mas ganharam um pouco mais de tempo com o decreto N° 10664 e devem funcionar até abril de 2023.

Existem outras tecnologias que estão bem atrasadas no Brasil, como a rádio digital. A América do Norte conta a anos com a HD rádio e a Europa com DAB.