estação de solda metcal

A estação de solda é a principal ferramenta em uma bancada, mas afinal qual é a melhor?

Na década de 1980 o mais comum em uma bancada em eletrônica era o ferro de solda de 20w ou 30w Fame.

Com a modernização da eletrônica as estações começaram a ficar mais acessíveis, um controle de temperatura e recuperação térmica eram essenciais para uma qualidade melhor nas soldas, principalmente nas “sem chumbo”.

Mas a final, qual a melhor estação de solda no mercado?

Primeiro precisamos entender o que é recuperação térmica.

O que é recuperação térmica?

Uma estação de solda com excelente recuperação térmica é capaz de retornar à temperatura desejada mais rapidamente em comparação com outro de baixa recuperação térmica. 

Ele é menos afetado por mudanças de temperatura, leva menos tempo para o ferro de solda aquecer, acelerando o processo de soldagem.

Um ferro de soldar com excelente recuperação térmica também permite soldar com temperaturas mais baixas. Uma vez que é capaz de reverter para a temperatura desejada mais rapidamente, não há necessidade de usar temperaturas mais altas para levar em conta as quedas.

Mais importante que um ajuste de temperatura é a recuperação térmica.

Tipos de estações de solda

Basicamente o ferro de solda de uma estação é composto por uma resistência, hoje temos casos onde essa resistência deixou de ser fixa e fica junto a ponta.

Algumas são envolvidas com cerâmica, o que aumenta a sua vida útil.

diferença de estação de solda indução
diferença da resistência e indução

Uma tecnologia mais nova é a de indução, ao contrário dos sistemas de aquecimento baseados em resistência que controlam a temperatura ligando e desligando, no sistema de indução a própria ponta de solda produza calor e mantém uma temperatura constante, permitindo alta capacidade de controle térmico.

No ferro por indução há a diminuição do peso e a temperatura é distribuída de maneira uniforme na ponta.

Potência

A potência normalmente esta ligada diretamente ao ferro de solda, mas também a capacidade da estação em ligar com esse aumento de corrente.

Para situações do “dia a dia” uma estação com 65 watts é suficiente. Dimensionar a potência ao uso é extremamente importante.

Mas há casos onde precisamos de maiores potências, dependendo dos componentes e espessura das placas.

Mas qual a melhor estação de solda?

No Brasil, uma das queridinhas do mercado é a JBC, uma marca com sede em Barcelona, Espanha. Porém ela não possui representação oficial, o que complicando o pós venda e compra de peças e acessórios.

Temos também a Hakko, empresa japonesa com representação no Brasil e um peso enorme no mercado mundial. Eu gosto da qualidade dos produtos mas o preço é alto.

Weller é uma das empresas que possui representação no Brasil, mas seguindo o caso da Hakko, seus preços são altos. Em alguns fóruns internacionais vi alguns problemas em modelos WX.

Pouco conhecida é a METCAL, empresa americana com representação no Brasil. Além de possuir estações de solda com resistências de cerâmica possuem também estações com aquecimento por indução. Tem um bom custo beneficio.

E por fim a Quick, empresa chinesa que conta com representação no Brasil para alguns produtos. Tem uma qualidade boa em seus equipamentos e um excelente custo beneficio.

Conclusão

Por fim, a melhor estação de solda é aquela que atende as suas necessidades. Sempre é bom começar com estações ou soluções mais baratas e desenvolver as habilidades, estudar sempre.

De nada adianta uma boa estação de solda se não houver conhecimento no assunto, precisamos entender como cada tecnologia se adequa.

Lembrem-se, uma boa estação melhora a produtividade e bem ajustada, diminui os riscos de danos as placas, trilhas e componentes. Se puderem, invistam.