21.3 C
São Bernardo do Campo
sábado 18 maio 2024 01:08:21
InícioDicasCentrais multimidias descartáveis

Centrais multimidias descartáveis

Centrais Multimídias descartáveis estão cada vez mais presentes no mercado nacional, principalmente adquiridas do Aliexpress e Mercado Livre

Quando alguém compra um produto, acredito que ela procura algo de qualidade, durável e que atenda suas necessidades. Com a popularidade das centrais multimídias começo a perceber algo interessante, produtos de baixíssima qualidade inundando o mercado.

Tudo começa com um termo chamativo, central multimídia Android, mesmo a Google nunca ter vendido central multimídia, existem muitos consumidores que acreditam nisso só pelo fato dela ser Android.

Depois vemos, Dual Core, Quad Core, Octa Core. São termos utilizados para mostrar quantos núcleos tem o processador. Em teoria quanto mais melhor, certo? Errado!. Processadores de marcas desconhecidas, péssimo gerenciamento de calor e baixa velocidade são comuns nestes componentes.

Publicidadepublicidade

Memória, esse é o termo mais enganoso que existe. Algumas possuem 32gb de memória, outras 64gb. Mas o cliente não entende e faz uma comparação com memória RAM, que essa sim, faria alguma diferença. O que vejo? Equipamentos com 2gb de memória RAM usando Android 12, onde requer o mínimo de 6gb para um perfeito funcionamento.

Agora vem o “suprassumo” das centrais multimídias, Display IPS ou até mesmo o QLED. Não discutirei a tecnologia mas sim a qualidade. Imagens com baixíssimo contraste, brilho exagerado ou cores saturadas são alguns dos problemas que vejo, porém é além disso. Tenho recebido centrais que o flat (cabo que liga o display à central) simplesmente desmancha. Outras apagam sem explicação plausível ou ficam “brancas”.

Algumas usam o tamanho para chamar a atenção, centrais multimídias Tesla (Tesla style).

Até algum tempo atrás eu pensava que o problema estaria na qualidade de construção ou algum erro de projeto no hardware, mas não é isso que tenho encontrado. São os componentes.

Os produtos não são projetados para o Brasil, só a falta de uma simples ventoinha, para remover o ar quente de dentro da central multimídia, já eliminaria grande parte dos problemas.

A maioria das unidades que chegam aqui não tem conserto, mais comum é a falta de peças, mas o fato de não poder identificar o verdadeiro fabricante e buscar informações técnicas colaboram.

Enquanto o consumidor adotar esse comportamento, não teremos no Brasil produtos de qualidade. Lembrem-se, a legislação define que o fabricante e ou importador, forneça garantia, assistência, suporte técnico e fornecimento de peças por um prazo razoável. E produtos com vícios ocultos, podem ter sua garantia estendida.

A central multimídia Ruancheng, Jiulunet, Essgoo, Topway, Tiebro, Zuidid, Amprime, Podofo, Nevegetor, Dainav, Joying, Xtrons e mais uma infinidade de unidades do tipo MTCC vendidas no Aliexpress.

Não esqueçam das empresas brasileiras que compram estas unidades, renomeiam, trocam a caixa e vendem aqui como um novo produto no Mercado Livre. Depois de alguns meses somem, trocam de nome e voltam a vender o mesmo produto.

Reinaldo Soares
Reinaldo Soareshttps://reiaudio.com.br
Técnico automotivo e eletrônico, Consultor. Mais de 25 anos de experiência no ramo de som e acessórios automotivos. Já restaurei a elétrica de carros antigos, customizei motos mas minha paixão é mesmo eletrônica.
PublicidadePublicidade

Mais Populares

PublicidadePublicidade