Gigi D'Agostino, bla bla bla

Olá a todos, não sou um “expert” quando o assunto é marketing e nenhum conhecedor em psicologia comportamental mas, algumas atitudes de determinados clientes me deixam intrigado, cliente gosta de ser enganado?



O que levou a escrever este post não foi a atitude de um cliente mas de vários. Venho observando atentamente este comportamento e juro, não sei se é minha postura que expira extrema confiança ou algum modo de eu tratar determinados assuntos.

 

Vamos aos fatos (alguns):

1. Um cliente entrou em contato telefônico querendo uma central multimídia, eu disse que, determinada plataforma não era de confiança, muitos problemas estão ocorrendo com este produto. Tenho aqui em mãos um produto (não vendo mais produtos) da mesma marca porém, plataforma diferente, possui maior confiabilidade e, se der defeito há peças de reposição e assistência técnica.

Sabe o que eu ouvi? rsrsr, um certo esbravejamento seguido de um questionamento arrogante, ele disse se eu tinha ou não a plataforma escolhida. Respondi rapidamente, não trabalho com este produto. O tu tu tu do telefone claramente denota o que ocorreu.

 

2. Outro dia no chat, o cliente entra como um usuário, explico o funcionamento e as características do produto escolhido, mostro as diferenças do produto concorrente e tento de certa forma convence-lo de maneira justa e honesta que meu produto é melhor (Não vendo mais produtos).
Até este momento, sem novidades. O que ocorre a seguir é que foi interessante. O mesmo cliente entra novamente mas com nomes diferentes. (Para quem não sabe, toda conversa de Chat feita pela Reiaudio é informado o número do IP da maquina, juntamente com a Cidade, Estado e o Host da pessoa, isso parece invasivo mas não é, este recurso garante a nossa segurança e não há como eu identificar o endereço físico do cliente (somente quem tem este acesso seria a policia com autorização da justiça).

 

Ao entrar ele pergunta diretamente sobre o produto do concorrente, querendo saber se era um bom produto e tudo mais. Eu sempre sou prestativo e informei as mesmas características e comparações ditas anteriormente.

 

Passaram-se quatro dias (aproximadamente), e entra um novo cliente, desta vez com um outro nome só que os dados do IP e host foram familiares e busquei o histórico, certeza de quem era. O cliente havia comprado o produto do concorrente mas estava com dificuldade em utiliza-lo, o produto não tinha manual em português (comum). Tentei auxilia-lo, como sempre, da mesma forma que eu trataria um cliente que comprasse um produto meu, mas infelizmente a central multimídia não era compatível com o celular dele. Recomendei a devolução mas, rsrs

 

 

3. Por último, hoje.

Cliente me chama no Whatsapp e pergunta se presto assistência a determinado modelo de equipamento. Digo que sim e rapidamente pergunto qual era o defeito. Tratava-se de um travamento na função do aparelho.

Logo diagnostiquei o problema, infelizmente este modelo de aparelho para seu carro tem esta característica, é um defeito mas não tem resolução, infelizmente. Expliquei também que, este modelo de aparelho possui vários “bugs” (problemas não resolvidos pela fábrica) que não são considerados defeitos e que esta plataforma não era um bom produto.

Na mesma hora ele escreve que “não pretendo comprar outra“, fazendo referência como se eu quisesse vender um novo produto. Sem dizer que, segundo as palavras dele “Bem, pelo jeito vc acha que não consegue arrumar!“.

Como bons comerciantes respiramos fundo e tentamos contornar uma situação equivocada mas, ele saiu sem responder e me deixou “falando sozinho”.

 

Entendimento

Nos 3 casos eu poderia agir de maneiras diferentes e dizer o que o cliente quer ouvir, mentiras.

No primeiro caso, eu tenho acesso ao produto que o cliente escolheu, poderia vender e ganhar dinheiro mas, preferi não fazer, pois não seria honesto de minha parte ofertar um produto ruim.

Segundo Caso, mesma situação acima. Ofertava algo ruim, ganhava o cliente e depois o enrolava. Como a maioria faz.

Terceiro caso, igual. Diria, realmente é um defeito, abriria o produto, deixaria aqui uns 8 dias, falava ao cliente que o defeito era difícil, cobraria um bom valor pelo “conserto” lhe entregava alguma sucata de alguma peça falando que aquilo era o problema e, ele estaria satisfeito. Certo? Lógico que não.



Em todos os casos percebi esta atitude, não sou o dono da verdade e não as imponho mas, parece que muitos clientes buscam afirmações para aquilo que acham certo ou que ouviram alguém dizer. Sinceramente, gostaria de entender essas reações.

 

Conclusão 

Estou no ramo de vendas a muito tempo, sem dizer que na área técnica trabalho desde a adolescência, sempre prezei pela honestidade e idoneidade. Entendo que muitas vezes clientes que não me conhecem sintam certa desconfiança mas, algum lojista colocou tantas informações em um blog para ser compartilhado por todos? Alguém da suporte para outras marcas de produtos gratuitamente e praticamente a qualquer hora e sem cobrar por isso?

 

Meus textos estão aqui e como já disse, não sou o dono da verdade. Tento apenas ajudar as pessoas a encontrar um caminho para suas dúvidas. Neste ramo concordo que existem muitos malandros. Neste caso vamos estudar o máximo possível e não acreditar em tudo que se vê e ouve por aí. Estou aqui para ajudar, lógico que, se eu vender um produto da minha loja virtual ficarei imensamente feliz, mas ajudar continua sendo um dos principais motivos de eu manter e postar no blog.

2
Deixe um comentário

Faça o Login para comentar
  Inscrição  
Notificação
tenenteurano@uol.com.br
Visitante

Parabens Reinaldo ! Vai permanecer no mercado de trabalho, quem tem qualidade e não quantidade, malandragem e desonestidade. Agradeço pelo serviço ! Recomendadíssimo !!!