29 C
São Bernardo do Campo
terça-feira 23 abril 2024 14:22:17
InícioNotíciasUma nova rota aérea de cargas China-Brasil promete entregas em uma semana

Uma nova rota aérea de cargas China-Brasil promete entregas em uma semana

Nova rota aérea facilitará o comércio eletrônico entre China e Brasil

Em cerimônia realizada nesta segunda-feira (3), a Embaixada da China no Brasil comunicou a abertura de uma nova rota aérea de carga ligando a metrópole de Shenzhen, no sul da China, a São Paulo do Brasil. A ação deve estimular o comércio eletrônico entre os dois países.

O voo inaugural decolou no domingo (2) de Shenzhen com 100 toneladas de produtos eletrônicos.

A rota aérea foi lançada pelo Aeroporto Internacional Bao’an de Shenzhen (China) e pela Cainiao Network, a filial de logística da gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba Group (Dona do Aliexpress), com dois voos semanais conduzidos pela aeronave de carga Boeing 747 da Atlas Air.

Publicidadepublicidade

Desde o início deste ano, o Aeroporto Internacional Bao’an tem cooperado com companhias aéreas e operadores logísticos para abrir novas rotas aéreas, com o volume de transporte aéreo de produtos aumentando 70% ano ao ano, disse o aeroporto.

O comércio bilateral entre a China e o Brasil atingiu US$ 171,49 bilhões em 2022, um aumento anual de 4,9%, de acordo com as estatísticas da Administração Geral das Alfândegas da China.

Taxação de produtos vindos da China

Na última segunda-feira (3), o ministro da Fazenda Fernando Haddad, anunciou medidas para elevar a arrecadação de impostos do governo federal.

Uma delas é o combate ao contrabando no comércio eletrônico. Segundo o ministro, especula-se uma receita de até R$ 8 bilhões ao ano através da regularização.

Produtos vindo de grandes empresas de comércio eletrônico como o Aliexpress, Shein e Shopee terão um aumento na fiscalização.

Aumento de importações de centrais multimídias

Atualmente percebemos um grande aumento de importações de centrais multimídias sem marcas definidas, esses equipamentos possuem baixíssima qualidade e impossibilitam até mesmo pequenos reparos.

Em uma conversa com dois grandes importadores estabelecidos no Brasil, reclamaram da concorrência desleal pois aqui, além da carga tributária, precisam investir em pós venda, treinamento, manual em português, homologação (Anatel) e assistência técnica. Tudo isso para se enquadrarem na legislação e ficarem em conformidade com o CDC (Código de Defesa do Consumidor).

Reinaldo Soares
Reinaldo Soareshttps://reiaudio.com.br
Técnico automotivo e eletrônico, Consultor. Mais de 25 anos de experiência no ramo de som e acessórios automotivos. Já restaurei a elétrica de carros antigos, customizei motos mas minha paixão é mesmo eletrônica.
PublicidadePublicidade

Mais Populares

PublicidadePublicidade