As vezes, andando pelas ruas de São Paulo, começo a reparar em algumas empresas e não tem como passar despercebido as assistências técnicas em eletrônica.

Cada vez menores essas empresas tendem a entrar em extinção. Não pela falta de conhecimento mas talvez, pela concorrência desleal do mercado, explico em breve.

As lembranças que possuo da década de 80 e 90 são de grandes empresas, serviços autorizados que ostentavam pontos comerciais enormes. Em suas bancadas bastavam poucas ferramentas, um ferro de solda e um multímetro analógico, os afortunados tinham o SIMPSON, HIOKI.. sonhos de consumo.

Multimetro Hioki
Multímetro Analógico Hioki

Poucos possuíam um osciloscópio, caríssimo na época.

Lembro da habilidade de um colega em achar defeitos em TVs de tubo, eu sempre tive medo de levar choque pois pouca gente sabia que ali tinha o Flyback, componente capaz de gerar de 10 a 30 mil volts. Nem sei com o que ele trabalha hoje, abandonou o oficio a muito tempo.

 

“Técnicos” em Eletrônica da atualidade

São poucos que vejo trabalhando nesse ramo, por incrível que pareça, a Santa Efigênia (região Central de SP) é o lugar que menos tem pessoas atualizadas. Se eu quero consertar um Marantz antigo, talvez eu ainda encontro alguém por lá.

Não vejo mais técnicos de verdade, são poucos que desempenham realmente a função, o que mais observo são os trocadores de placas.

Hoje, quase todo mundo pode ser um técnico (ou acha que pode), basta saber abrir o aparelho e buscar referencias em sites de comércio eletrônico que encontrarão placas.

No Youtube, o que mais tem são “tutoriais” de pseudo técnicos ensinando a abrir e trocar placas, talvez o negócio deles seja vende-las, mas na maioria são “profissionais” que compartilham conhecimento da maneira errada.

Poucas pessoas que fazem isso percebem o mau que causam, alias, isso volta para eles pois disseminam informações, muitas vezes equivocadas e que dificilmente conseguirão combate-las.

Raramente vejo técnicos que se atualizaram ou investiram, não estão evoluindo.

 

Carros elétricos

Não costumo dar dicas profissionais, mas percebo uma grande falta de mão de obra qualificada para reparo desses veículos.

A eletrificação da frota de veículos mundial vem abrindo portas para pessoas que gostam de trabalhar com eletrônica, o momento de estudar e evoluir passou um pouco da hora mas ainda da tempo.

Lembrei recentemente de um americano que ganhou muito dinheiro reparando um defeito nos veículos TESLA.

Reparo em Placas do Veiculo Tesla
Reparo em Placas do Veiculo Tesla

Cada vez mais problemas mecânicos serão passado e uma nova geração de técnicos em eletrônica terá que surgir para dar conta dessa evolução.

Não digo só trocar componentes, isso será fácil, mas buscar soluções para problemas em que engenheiros terão dificuldades em implementa-las. A bancada é mais dinâmica do que projeto em um computador.

 

Fica a dica, estudem que em breve novas portas se abrirão.

E sim, muita coisa do que sei aprendi lendo revistas emprestadas de um colega, comecei com BE-A-BA da Eletrônica. Era divertido.